DORES DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL (DISPAREUNIA)

Geralmente esta queixa está associada a uma falta de lubrificação vaginal decorrente de uma excitação insuficiente que pode ser consequência tanto de fatores orgânicos quanto de psicológicos. Assim como a queixa de Vaginismo, a mulher que tem Dispareunia deve também fazer exame ginecológico para afastar alguma causa orgânica antes de  iniciar o tratamento psicoterápico.

O diagnóstico de Vaginismo pode ser confundido com o de Dispareunia, portanto é muito importante que seja feita uma entrevista detalhada com a paciente. A Dispareunia não só ocorre na mulher que está entrando na menopausa, devido ao desequilíbrio hormonal consequente desta fase, mas principalmente em mulheres mais jovens que parecem mais propícias às influências dos fatores culturais e educacionais já mencionados anteriormente, também responsáveis por essa queixa.

Na prática clínica o número de mulheres na faixa etária dos 20 aos 35 anos  que apresentam a Dispareunia é maior do que em  mulheres mais maduras. Pouca intensidade das carícias preliminares podem, também, ser responsáveis pela insuficiência da lubrificação vaginal. Sentimentos de culpa, punição e a não permissividade aos prazeres do sexo, necessidade em agradar o parceiro e outros fatores psicológicos podem causar tensão durante a relação sexual, levando à dor.

Com as tentativas de relação com dor é comum a mulher , com o passar do tempo, passar a evitar as relações, comprometendo assim o relacionamento com seu parceiro. Essa queixa pode também causar uma diminuição do desejo sexual.

 

Afastadas as causas orgânicas, o tratamento psicoterápico é feito com o objetivo de elucidar e solucionar os conflitos inconscientes que possam estar relacionados à queixa.

A entrevista com o casal torna-se importante para  se estabelecer o diagnóstico e verificar a necessidade de se propor uma terapia individual ou conjugal.

Ainda que seja proposta a terapia individual, se possível for, é interessante fazer algumas sessões com o casal para que sejam fornecidas algumas orientações sobre o ato sexual, com o objetivo de proporcionar um maior relaxamento e excitação, para a completa eliminação da queixa.

É imprescindível a análise de um profissional para um tratamento eficiente. Ligue agora e marque sua consulta. (31) 3282-5661